domingo, 30 de abril de 2017

Ela tinha um sorriso satisfeito de quem sabe que tudo vai ficar bem. Ela se sentia bem por sentir e, por hora, deixava que o sentir a abraçasse e fizesse de si o melhor.

domingo, 23 de abril de 2017

Sobre ela

Ela estava completamente perdida, com vontade de deixar tudo alheio. Ela queria estar alheia. Mas a vida jamais permitiria que isso acontecesse. Ela só queria se encontrar e viver um pouco daquilo que sonhava. Embora sentisse que seus sonhos nunca seriam reais. Ela passou a não mais querer questionar. Afinal, não sobraria muito a se fazer senão seguir vivendo, mesmo que não fosse da forma que ela planejava. Ela cansou e parou. Talvez não para sempre, mas enquanto fosse necessário parar. 
A vida tá me enchendo de indiretas de que vai ficar tudo bem e eu estou apenas tentando não percebê-las e falhando miseravelmente nesta missão. 

Siga esse som

Siga esse som, em abril, especialmente ao som de Casaprima.  

Mariassoungue
Casaprima


Isso parece a chama da vela

Que sempre se apaga quando você dorme
Me parece coisa de outro planeta
Que ninguém deseja, nem sabe o que é

Não sei como explicar
Aquilo que eu quero dizer
Eu não vou argumentar
Você nunca vai entender

Eu não sei te dizer o que eu sei
Eu só sei que eu sei

Me perguntam onde eu estou
Eu digo coisas voando
Ninguém pode entender
Patinando sobre as palavras
Tudo está tão claro pra mim

Eu não sei como explicar
Aquilo que eu quero dizer
Eu não vou argumentar
Você nunca vai entender

Eu não sei te dizer o que eu sei
Eu só sei que eu sei

sexta-feira, 21 de abril de 2017

Peso.
Meu coração se enche de um vazio pesado.
Um fardo.
Uma ilusão.
Meu corpo não surporta mais carregá-lo.
Para onde?
Por quanto tempo?
Apenas sinto a vontade de viver se esvair.
Sem a menor chance de sobreviver ao caos que é sofrer.

domingo, 16 de abril de 2017

O dia tem sido triste. Daqueles que te põe muito pra baixo. Como se nada fosse capaz de te iluminar. Você sabe que não é verdade. Mas deixa sentir. Porque sentir também faz parte. O teu principal problema tem nome, sobrenome e tá são, bem longe de você. Mas isso não ameniza a dor que aperta o coração. Nem deixa de te tocar em sinal de afeto. Porque no fim nada é tão certo, embora planejado. No fim, ainda se guarda a esperança de que algo aconteça. Para que, um dia, seja possível soltar de si isso que tá preso dentro de mim.

quarta-feira, 12 de abril de 2017

Parece que acabou o tempo de poesia. Deixou de sair entre a leveza do sentir e o pesar da existência. Nada parece ter sustentado o vício de poetizar. Nem mesmo a vontade de não mais poetizar. Como se o tempo de poesia sincera e espontânea fosse tão raro que nem valesse a pena tentar sincronizar palavras. Forçar a poesia não tem sentido, nem amor. Forçar a poesia não faz de mim poeta, mas sim tortura[dor].

segunda-feira, 10 de abril de 2017

Só respira fundo.
Só deixa pra lá.
Mantenha a calma.
Não sinta.
Não veja.
Não pense.
Só deixa passar devagar.
Deixa ir embora.
Alivia esse peso.
E siga em frente.

quinta-feira, 6 de abril de 2017

7 anos!

Entre tristezas e alegrias, emoções e decepções, o Minha Casa Imaginária vem se estruturando e se mantendo na minha vida como uma das coisas mais fortes e bonitas que conquistei. Hoje completa 7 anos desde o primeiro dia que resolvi escrever. Foram tantas aleatoriedades, tantos sentimentos, tantas bobagens, tantas coisas boas e um amadurecimento que só a idade permite compreender. Chego aos 7 anos de blog com uma senhora satisfação por ter iniciado essa história e com a certeza de que ainda há muita coisa a ser escrita. E que assim seja, mais um ano de conquistas, sabedoria e recordes de postagens. Feliz 7 anos! Vida longa ao blog!