sábado, 31 de dezembro de 2016

Retrospectiva 2016

2016 foi um ano diferente, doído, mas de ensinamento. Engraçado colocar na balança todos os acontecimentos e perceber que ao mesmo tempo em que o ano foi difícil, foi bom. O que nos faz pensar que mesmo quando tudo parece perdido a luz das coisas boas uma hora vai nos iluminar. 2016 foi assim. Intenso, cheio de surpresas desagradáveis, cheio de novas boas descobertas, de grandes momentos de realização, de um novo despertar, de despedidas com sabor de até logo e de tragédias. Em 2016, fiz novos amigos, me reapaixonei por velhos amores, reencontrei velhos e bons amigos, me encantei pelo mundo da fotografia, parti meu coração, lavei a alma e resolvi me permitir um pouco mais. Em 2016 passei a acreditar um pouquinho mais em mim, ser maior e ser melhor. Ser mais amor, embora isso seja difícil pra caramba. Musicalmente foi, inimaginavelmente, excelente. Teve shows da Barbara Rodrix e da Bruna Moraes, da Filarmônica de Pasárgada, do O Terno, da Pedeginja,  o musical da Cassia Eller. Teve São Paulo, meu maior despertar de amor. Nossa, ter ido a São Paulo foi a melhor coisa de 2016, pois me fez ver a vida de outra forma, com um pouco mais de esperança tanto pra vida pessoal quanto pra vida profissional. Em 2016 encerrei um ciclo de vínculos profissionais, foi meu último ano como estagiária do MP e da Prefeitura da Uema. Foram experiências sensacionais, conheci profissionais incríveis e só me apaixonei mais pela minha profissão. Conheci algumas boas e especiais pessoas que espero mantê-las por perto em 2017. Enfim, 2016 me marcou de um jeito diferente, eu mudei, me vi uma pessoa mais humana, mais gentil. Eu só posso agradecer pelas boas coisas que acontecerem e torcer para que as boas vibes permaneçam em 2017.
O papo de hoje é sério, amigões, envolve a vida de uma forma um pouco diferente, sob outra perspectiva, sob a perspectiva da morte. Morrer não é o fim nem pra quem vai, muito menos pra quem fica. É bom deixar isso bem claro, porque a morte faz parte da vida e um dia iremos encontrá-la. Falar sobre a morte é, para algumas pessoas, algo assustador, mas pra mim se tornou algo necessário a partir do momento em que decidi que seria uma doadora de órgãos. Não é fácil tentar conversar sobre isso com a família, principalmente com a sua mãe, mas é importante. Não sei o que pode acontecer comigo num futuro, por isso deixo claro o meu desejo de ter os meus órgãos doados pra quem precisar. Acho que eu vou ficar mais em paz se souber que partes que me ajudaram a viver bem farão com que outras pessoas também possam viver. E quem saber despertar e semear por aí o bem, mais amor nesse mundo tão necessitado de boas vibes. Pra deixar isso claro, o Banco de Olhos de Sorocaba criou o Cartão do Doador como uma forma física de representar o desejo das pessoas que querem ser doadoras. Se você deseja conhecer mais da iniciativa é só acessar: http://ares.hosbos.com.br/bos_novo/bos/campanha.php 
Seja um doador. Colabore com a vida! 

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

É chegada a hora.
Prepare-se.
Estamos em tempo.
Perceba.
Não dá mais pra ignorar.
Entenda.
Não dá mais pra se esconder.
Não fuja.
O momento é agora.
Aceite.
Abrace.
E sinta a boa nova que se aproxima.
Respire.
E deixe que a boa nova nos preencha.

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Dançar.
Se espalhar por aí.
Vibrar. Fluir. Voar.
Se libertar por aí.
Buscar-se. Encontra-se.
Se satisfazer por aí.
Fazer de cada música uma apresentação pra vida.

domingo, 25 de dezembro de 2016

Repetir palavras não ditas.
Buscar vazios pra se preencher.
Se partir em dor.
Não parar pra se perdoar.
Não se olhar com afeto.
Não se ver como humana.
De que valeria a vida se não fosse possível ter pelo menos um pouco de amor próprio?
Repetir boas palavras.
Buscar a paz pra se preencher.
Repartir sua dor com o outro.
Parar pra se perdoar.
Se olhar com afeto.
Se ver como humana.
Fazer com o que o amor próprio seja um ingrediente de valor na vida.
É só disso que precisamos pra sermos felizes.
Viver é uma graça, e quem diria? Após dias de turbulências, sorrisos não tão desconhecidos desperariam novos sonhos e desejos de paz. Mesmo que os caminhos sejam os mais diferentes possíveis, que tudo não passe de breves encontros, é bom saber que ainda há uma chance. Afinal, os bons sentimentos não se findaram e nem poderiam. A vida não nos permitiria deixar de lado o que nos torna melhores não é? Não seria justo deixar que a felicidade de um acabasse em prol da felicidade de outro. Por fim, é bom sentir-se pelo menos um pouquinho mais livre. 

Ps1.: Especialmente para um livreiro especial. 
Ps2.: Obrigada por me devolver a esperança por novos encantos.
Muito a se pensar.
Muito a se questionar.
Muito a se refletir.
Cada dia que passou foi importante de alguma forma.
Cada pessoa que cruzou meu caminho teve uma razão.
Seria muito fácil acreditar nos acasos e ignorar a essência da vida.
Dos encontros, das descobertas, dos tropeços e dos sorrisos.
Cada instante que se compõe das mini ações de vida. 
E de tudo, uma lição: o que nos envolve é muito maior do que podemos entender. 
Vai se criando, a cada dia, novas esferas, novos encantos e sonhos. Desejos antigos são deixados de lado e uma vontade de viver é despertada. Como se a vida te mostrasse que algo melhor pode e vai acontecer. Só o tempo é capaz de assegurar que a vida se reinvente. Que os dias se iluminem, que o coração seja melhor. Cada dia, cada instante, enfim tudo pronto pra que possa se viver em plenitude e com o máximo de amor. Sejamos felizes, sejamos amor.

domingo, 18 de dezembro de 2016

Mais espaço, ela pedia. 
Todo instante, toda hora.
Mais silêncio, ela dizia.
Toda hora, todo lugar.
Mais sozinha, ela se sentia.
Em todo lugar.
Mais carinho, ela queria.
Só um instante, em um só lugar.
Mais da vida, ela sorria.
Sentindo que lá era o instante em que precisava estar. 

Sobre ele...

Ele tinha um sorriso que colocava cores no mundo. Um sorriso macio de quem sabe que a vida pode e deve ser bem vivida, de quem entende que pode fazer com que o mundo e as pessoas sejam melhores. Ele tinha esse dom, fazia parte de cada gesto contido em sua alma. Fazia parte de sua suave existência tocar e curar as dores mais profundas. Ele fazia transbordar carinho e amor, sem forçar colocava sorrisos em rostos tristes, fazia corações desejarem a felicidade plena e os mais sinceros abraços. Ele conquistava por pouco, por ser gentil, por ser real, inclusive por ser humano. Ele era raro, pouco convencional e, por isso, tão difícil de encontrar. Ele era a peça que ficou faltando no quebra-cabeça, a figurinha que não veio no último cromo disponível. Ele era essencialmente parte de um todo que não pôde mais existir. Essencialmente parte de um todo-amor que existe em mim. 

Ps1.: Parabéns por este dia!
Ps2.: É o último que escrevo, tentarei cumprir. Prometo!

sábado, 17 de dezembro de 2016

Não quero falar de dor. Nem daquilo que sinto. Embora não falar disso me leva a não ser quem eu sou. Então, vou falar do tempo, do vento, dos encantos e encontros. Dos instantes floridos divididos com pessoas queridas... É, não dá pra fugir do que sou. Nem seria de bom tom. Talvez falar de mim traga uma paz, talvez não traga nada. Ok, isso não tá fazendo sentindo algum e eu tô sorrindo, que boba. Mas isso é bom, porque sorrir é se libertar, é deixar transbordar um pouco de si. Não sou poetisa, não sou escritora, não vim com esse dom de transformar através de palavras. Eu só sinto e me transcrevo. Mesmo que de forma confusa e angustiada, mesmo que esteja de sorrisos largos e alma livre. Eu só preciso deixar isso que tá aqui, em mim, disponível em algum lugar. Eu só preciso aprender a falar, mesmo que eu me esconda, mesmo que eu não queira. É, eu não vim falar de dor, eu vim deixar aqui um pouquinho de quem sou.

domingo, 11 de dezembro de 2016

Parece que voltei ao mesmo tom de outrora. Parece que o sentimento de vazio se refez. Quem sabe seja hora de se entregar a solidão? Quem sabe seja tempo de se recolher em paz e esperar pelos novos dias, pelos novos sorrisos, tão aguardados e que nunca vieram. É a hora de desacelerar esse coração, de acalmar as ideias. Parece que voltei ao mesmo ponto de antes. Um retrocesso nada difícil de entender, pois se explica ao se perceber que o que tem aqui não vai se desfazer tão cedo.

Sobre ela.

Ela estava mais indecisa do que nunca. Perdida entre seus pensamentos sem saber o que fazer, como se resolver. Apenas sabia que seu coração doía, contudo ela não conseguia sará-lo. Ela doía na alma. A aparência forte escondia o ser que, por dentro, se desmanchava em súplicas de dor. Se sentia irreal, por não saber o que fazer, por ser tão invisível, por ser tão insatisfeita. Mantinha-se na dúvida e planava. Sem encontrar a cura pra dor absurda que a consumia.

sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Descobri que sou melhor do que eu me considerava. Descobri que aqueles constantes sentimentos de raiva e dor já não existem mais. Eu aprendi a gostar de mim. Eu aprendi a querer mais o bem dos outros. Eu aprendi a amar, mesmo não podendo. Eu aprendi que eu seria melhor desejando e torcendo, de coração leve, pelo bem e pela felicidade dos outros. Foi bom você ter me ensinado isso. Foi bom você, sem nunca saber, ter feito com que eu despertasse para algo bom pra mim e pros outros. Hoje percebo que foi bom o tempo que eu gostei de você. Agora, só vai ser feliz! E obrigada! ❤

Ps.: para o menino magrinho, moreninho, com brilho no olhar e sorriso de imensidão.
Deixe sarar toda dor e aflição.
Não tente esconder aquilo que tens de melhor.
Seja melhor.
Seja amor.
Deixa espalhar pelo mundo tudo que for bom.
Não tende administrar aquilo que não precisa mais ser gerido.
Seja mais.
Seja maior.
Só busque ser o que for bom.
Só tente ser do bem.
Faça isso por você
Faça isso por alguém.

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Sobre ela

Ela tinha um coração, percebia isso agora. Ela mantinha em si uma quantidade de amor que se pode encontrar por aí, mas que estava adormecida. Nada que fosse maior do que os outros, nada que espalhasse pelo mundo uma nuvem de bondade. Ela só tinha amor. Um pouco pra cada dia, um tanto pra cada pessoa que conhecia. Ela entendia isso. Não questionava. Apenas admirava. Ela apenas se admirava por aquilo que tinha se transformado e por aquilo que ainda ia ser. Amor. Ela era só amor. Hoje mais do que ontem, amanhã só pra quem for até lá. 

domingo, 4 de dezembro de 2016

Nada de expectativas.
Deixe chegar.
Nada de ansiedade.
Deixe estar.
Nada de se iludir.
O que tiver pra ficar, virá. 

Siga esse som

O Siga esse som de 2016 se encerra com uma vontade de postar todas as músicas desse cd do qual a música escolhida faz parte. Mas, como combinado é combinado, vamos manter as regras. Tenho muito o que agradecer a 2016, foi um ano musicalmente muito acolhedor e, mais uma vez, o siga esse som contribuiu para isso. Escolhi "Depois que a dor passar" do O Terno por várias razões:1) porque O Terno me conforta e me acompanha nesses tempos de tcc; 2) porque tive a oportunidade de dizer isso ao Biel, ao Tim e ao Gui pessoalmente esse ano; 3) porque tudo está realmente "melhor do que parece"; 4) porque O Terno conseguiu cantar todo o meu estado emocional em 2016; 5) porque diante dos dias em que a tristeza nos invade de forma tão trágica, nada melhor do que acreditar que a dor pode e vai passar e 6) porque 2016 foi intenso demais pro meu coração que se reapaixonou e se partiu, mas que está se reconstruindo e deixando a dor passar. Obrigada, O Terno! Obrigada, 2016! Obrigada, Siga esse som! Até 2017!

Depois Que A Dor Passar
O Terno
  
E depois que a dor passar
Poder abrir o olho e ver tudo igual
E tudo aquilo que você pensou ter acabado está a salvo
As coisas não estão tão mal assim

E até que enfim
Você pode chegar em casa tarde e reparar
Que o coração agora não dói mais
E que essa paz de ver que tudo passa
É bom pra gente aguentar firme
Se acontece uma próxima vez

Porque quando a dor voltar
Não vai ser muito fácil de se convencer
De que não é o lado bom que passa
Porque pra quem foi ferido
É fácil de uma cicatriz se abrir

Mas há por vir
Muita beleza ainda
Você tem toda uma vida
Pra viver o que ainda nem chegou
E se não deu, vai dar
Ou paciência
Nem sempre o que a gente pensa
É realmente o que vai ser melhor.

Clipe oficial de "Depois que a dor passar".

Gui, Tim, eu e Biel, no show aqui em São Luís.

Ps1.: Sobre o show: Melhor show! Saí de alma lavada e coração mais leve. Obrigada, meninos, pelo show, pelas canções, pelo carinho, pela conversa e pelo abraço!
Ps2.: A dor tá passando, foi bom chegar em casa depois do show e sentir que o coração, de fato, já não doía mais tanto.
Ps3.: Ano que vem tem mais Siga esse som!❤
Uma sonhadora.
Um olhar pelo mundo.
Um sorriso de afeto.
Apenas mais uma no mundo com o coração cheio de palavras e sentimentos.


quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

É na madrugada que eu me encontro.  É na madrugada que enxergo as palavras. É na madrugada que o canto poético soa. É na madrugada que escrevo, que me aceito e me transcrevo. Repasso o que penso. Descubro o que sinto e libero. Com um tom de poesia presa. Condensada. Mas latente. Gesto de quem sente. Gesto de quem se prende. E se liberta em palavras mudas. Não vistas, tão suas quanto minhas. De todos. Para todos. Em todos. É na madrugada que me faço gente. É na madrugada que meu melhor me surpreende.
Encontro em você refúgio para ser meu lar.
Descubro em você encantos para me consolar.
Absorvo de você a paz que nunca pensei em achar.
Atraco-me em você como um porto seguro, sem questionar.
Espero de você um instante para despertar.
Sinto você distante do meu olhar.
Atravesso-me de angústia por não mais te encontrar.
Escorrego-me no choro pertinente sem teu estar.
Encontro em mim mesma a razão pra continuar, sem nunca mais te ter como meu lugar.

FORÇA CHAPE!

A gente entende que o ser humano ainda sabe ser humano em momentos difíceis. A gente volta a acreditar que é possível ser maior e melhor. A gente volta a ter ternura e esperança quando vê nos olhos e sente nos corações a compaixão, a solidariedade e a fé. É tempo de amor! E de garantir que a beleza dos bons gestos possam se estender além tragédias, que a gente possa ser humano além da dor. Que a gente, enfim, entenda que quando estamos juntos, nos olhando com carinho e nos colocando um no lugar do outro somos inteiramente mais fortes e importantes. Que os tempos difíceis nos ensinem a sermos melhores todos os dias. E a certeza que na lembrança guardaremos todos aqueles que, em meio aos seus sofrimentos, fizeram com que fosse contruído e despertado algo de bom nas pessoas. Por isso, tenham certeza que nada foi em vão. Estejam em paz! 

Ps.: Em homenagem aos jogadores, comissão técnica, médica, dirigentes, jornalistas e tripulação envolvidos no acidente do dia 29 de novembro.