quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Talvez eu seja mais daquilo que eu nego.
Talvez eu seja mais daquilo que eu não me identifico.
Talvez eu seja igual a aquilo que eu não quero.
Talvez eu seja só um talvez.
Talvez eu seja só um pouco de você.



Ps: pro escritor que eu não pude/consegui compartilhar corações. Desculpa! 
Dia de ser. Dias de estar.
Sonhos.
Caminhos.
Destinos.
Tudo tende a se encontrar.
Sonhos.
Muitos sonhos.
Instantes pra se estar.
A vida.
A estrada.
O coração.
Tanto a se encontrar.
Sorrisos.
Abraços.
Olhares.
Carinhos.
Ilusão

Carinhos.
Olhares
Sorrisos.
Abraços.
Aflição.

Caminhos trilhados em outras direções.

Mais sorrisos.
Mais abraços.
E beijos na mão.

Mais carinhos.
Mais olhares.
Tudo ilusão. 

Sobre ela

Ela encontrou nas palavras escritas o alívio que precisava. Aceitou de bom agrado o destino que a foi proposto. Nos dias mais nebulosos, ela conseguiu clarear os instantes com sorrisos. Ela deixou a vida ser mais leve pelo seu próprio olhar e coração. Mostrando que cada dia uma nova forma de ser livre se manifesta, bastando apenas abrir os braços e se entregar. Ela, agora, é somente sobre ela e ninguém mais. 

domingo, 20 de novembro de 2016

Depois de um turbilhão de emoções, a calmaria se fez.
Depois das lágrimas e das dores, o sorriso se refez.
O respirar fundo, amigo de tudo, soprou para o interior a paz necessária pra se recompor.
E produzir novos bons olhares.
Olhares sobre o mundo, sobre tudo e sobre si.
E, enfim, seguir.

vida

Parece que a vida não está disposta a me entregar resumos.
Nem me rascunhar o que estar por vir.
Mas ela anda deixando escapar sutis detalhes. 
Instantes de dias melhores.
Instantes de dias piores.
Deixando apenas claro que ela nunca vai deixar de ser vida.
Não importando a dimensão do coração partido.
Não importando a nova ilusão que te espera.
Não importando o vazio preenchido.
Nem o carinho recebido.
Nem o carinho demonstrado.
Não importa.
Os dias vão passar e a vida vai continuar sendo vida. 
Sem maiores alterações.
Sem maiores questionamentos.
Queria falar de poesia.
Queria demonstrar o florescer da alma.
Queria apenas querer.
Queria falar da vida.
Queria demonstrar afeto.
Queria apenas querer.


terça-feira, 15 de novembro de 2016

No fim...

                 f         l          u        i         r.

segunda-feira, 14 de novembro de 2016

Siga esse som

Siga esse som vem diretamente da trilha sonora de Big Hero 6 para, assim, sermos imortais.

Immortals
Fall Out Boy

They say we are what we are
But we don’t have to be
I’m bad behaviour, but I do it in the best way
I’ll be the watcher of the eternal flame
I’ll be the guard dog of all your fever dreams

I am the sand, bottom half of the hourglass
(Glass, glass)
I’ll try to picture me without you but I can’t
'Cause we could be immortals, immortals
Just not for long, for long
And live with me forever now
We'll pull the blackout curtains down
Just not for long, for long
We could be immor, immortals
Immor, immortals
Immor, immortals
Immor, immortals

Sometimes the only payoff for having any faith
Is when it’s tested again and again everyday
I’m still comparing your past to my future
It might be your wound, but they’re my sutures

I am the sand, bottom half of the hourglass
(Glass, glass)
I’ll try to picture me without you but I can’t
'Cause we could be immortals, immortals
Just not for long, for long
And if we meet forever now
Pull the blackout curtains down
Just not for long, for long
We could be immor, immortals
Immor, immortals

And live with me forever now
We'll pull the blackout curtains down

We could be immortals, immortals
Just not for long, for long
We could be immor, immortals
Immor, immortals
Immor, immortals
Immor, immortals

domingo, 13 de novembro de 2016

Sobre ela.

Ela demorou para derramar as lágrimas. O tom da tristeza se aproximou em breve leveza, em cores de sutileza. Ela sentiu a tristeza invadi-la em abraço de paz, como uma amiga que conforta. Ainda que partida em pedaços, ela tentou sorrir e buscar outras razões que a preenchesse. Ela se preencheu de vazios poéticos e sonoros. Sorrisos logo vieram e o bailar em seus pés também. Ela ainda não se recuperou, mas percebeu que em breve terá em si algo melhor. 

sexta-feira, 4 de novembro de 2016

...

Não busco abrir minha casa.
Não quero te encontrar aqui.
Talvez não porquê não queria, mas porque não te interessaria.
E eu sei.
Sei de tudo.
Mais do que deveria.
Mais do que gostaria.
Eu sinto.
Eu te sinto.
Sinto que não está aqui.
E nem vai estar.
Não tão cedo.
Nem agora.
O mais certo é o nunca.
Você tá longe.
Você vai longe.
Você sempre esteve longe.
Eu que acreditei.
E me iludi.
Mas confiei.
E me perdi.
Em você.
Todos os dias.
Nos meus dias.
Tem instantes teus.
Mas você não sabe.
Nem sente.
Nem deveria.
Como saberia?
Afinal, quem poderia?
Quem adivinharia?
Se eu não abri a minha casa.
Se eu não abri meu coração.