terça-feira, 26 de abril de 2016

Um amor por SP!

Enfim SP se fez em mim. Enfim me fiz em SP. Uma semana foi suficiente para que eu visse nascer um amor que já se rascunhava há aproximadamente 1 ano. Como não perceber a maravilha que São Paulo é? Mesmo com todos os problemas, em meio a crise política e toda confusão que ebule entre suas ruas, avenidas e pessoas, São Paulo se mantém rígida e flexível assim como o concreto que tanto a caracteriza. São Paulo é um cinza que colore, brotando flores e grafites por onde se passa. Uma cidade que se expande diante dos nossos olhos através da imensidão em concreto, aço e vidro que vão se multiplicando, em distintas formas e tamanhos, ao longo de faixas divididas que tentam conciliar as formas de locomoção. Seus espaços - criativos - públicos que se diferenciam em tudo do que me é cotidiano e me fazem acreditar que sim, que é possível ser melhor. Andar se torna eficiente e um ato de louvor à cultura. São Paulo respira e exala cultura, diversidade, o mínimo de civilidade e respeito. A sensação que fica é que, indiferente à saturada densidade demográfica, sempre caberá mais um em SP. Suas pessoas, que até então tinha receio por ter em mente a ideia deturpada de que eram frias e pouco gentis, se mostraram de uma educação e gentileza suprema, uns amores de simpatia, me deixando bem satisfeita por saber que estava enganada sobre o perfil dos paulistas.
Enfim, São Paulo se despediu de mim me deixando claro que ela é um encanto cultural diversificado onde você se sente livre e pronto pra ser naturalmente feliz diante do que você é. E foi me encarando  até o último segundo com um sorriso esperançoso por um próximo e breve encontro.


PS.: São Paulo, enquanto um grande centro econômico e urbano do país, apresenta uma acentuada desigualdade que é clara e evidente em seu dia-a-dia. Contudo, é perceptível a vontade de seus habitantes em viver, usufruir, cuidar e manter a cidade. Além do sentimento de pertencimento e valorização muito presente. Sendo assim, São Paulo pela sua história e vivência é um excelente exemplo do que se é bom e do que não se é bom pra ser seguido. E no fim, SP é uma referência inigualável.

quarta-feira, 13 de abril de 2016

Sobre ela

Talvez fosse melhor assim, ela pensou. Deixar tudo pra trás e buscar algo novo. Ou apenas esperar que tudo fosse se resolver por si só. Ela queria acreditar nisso, embora sentisse que todo esse esforço fosse em vão. Ela não chorou, ela estava muito cansada pra isso. O cansaço dela era muito interno, doído. Contudo, ela continuava pensando que talvez fosse melhor assim, e repetindo para que um dia ela pudesse, de fato, acreditar. E seus dias foram passando, vivendo, sorrindo, buscando, chorando e, por fim, querendo sempre acreditar. 
Tempo-amigo.
Velho amigo de todas as horas.
Excepcionalmente especial e compreensivo.
Amigo que guarda as dores e te faz respirar.
Amigo que te ensina e protege.
Tirando o que parece eterno e eternizando o que não precisa ser tirado. 
Tempo-paciência.
Tempo-aliviador.
Tempo-abraço.
Tempo-gratidão.
Apenas tempo, a todo tempo.

domingo, 10 de abril de 2016

Siga esse som

'Siga esse som" de abril sendo "tão feliz sou eu agora", parece que essa música é uma reconquista muito bem acertada. Trazendo de volta carinhos e tudo que possa fazer da vida algo melhor. 

"Tanto a dizer"
(Paulo Novaes/Pedro Altério)

Quando o tempo para
É quando a gente sente
Quanta coisa rara
Quanta luz presente
Quando o vento sopra
O quanto eu canto alto
Canto as memórias
Canto os meus pecados

Vou contar histórias
Dizer o que sinto
Quando a gente chora
Quando tudo é lindo
Sei cantar meus medos
Sem temer as dores
Canto o meu momento
O meu lado escuro

Mas então tudo é tão claro
Tão mais fácil de dizer
Tão feliz eu sou agora
Tenho tanto a dizer
Tanta coisa eu vejo agora
Tanta ideia ver nascer
Tão feliz sou eu agora
Tenho tanto a dizer
Tão feliz sou eu agora
Tenho tanto a dizer.


...

Prometi libertar-me.
Libertar-me do que me ocupava.
E consegui por algumas horas até o coração voltar a doer.
Dor fina que consome e consola.
Um verdadeiro 'bate e assopra'.
Por vezes diário.
Temporário.
Por vezes esquecido.
Guardado.
Por fim, senti a liberdade chegando.
E enfim ocupando o que era ocupado.

quarta-feira, 6 de abril de 2016

6 anos!

Ah, que dia é esse que me faz sorrir só de pensar? Que dia é esse me surpreende toda vez que chega? Que dia é esse que a cada ano se torna ainda mais especial? É o dia de um aniversariante de extrema importância, pois sem ele minha vida não seria tão mais leve. Quem é ele? Ah, é este blog extensão do que sou! Caramba, 6 anos! Impossível não me sentir feliz e realizada por mais um aniversário completado. Cada palavra aqui escrita reflete cada instante do que sou, do que penso e do que represento nesse mundão de todos nós. Aqui são descritas cada lágrima contida ou derrubada, cada sorriso frouxo, cada novo aprendizado, cada satisfação, cada sonhos e desejos de uma vida. Um pedacinho -por vezes discreto, entrelinhas- de mim. E, em mais um ano, refaço meus votos de que esta data ainda se repita muito tempo. Feliz aniversário, feliz 6 anos!

Bolo retirado de: http://pt.dreamstime.com/photos-images/bolo-de-anivers%C3%A1rio-9-anos.html