quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

...

Uma tristeza chegou e se apossou de mim. 
Ela foi se infiltrando e levando meu sossego. 
Deixando em meu peito uma angústia. 
Angústia, essa, que não se explica.
Só se sente.
Não se entende.
E assim, prossegue.
A vida, os caminhos, os destinos e desencontros.
Sem nada mais o que fazer.
Sem nada mais.

domingo, 8 de fevereiro de 2015

Siga esse som...

Ah, fevereiro! Ah, "Siga esse som" e as novas descobertas musicais associadas com amores musicais mais que antigos e especiais! Já havia comentado sobre a minha necessidade de ouvir algo novo e sobre ter esbarrado, sem querer, num carinha chamado Pramit. Contudo, mais que um voz e composições encantadoras tive o prazer e a surpresa de ouvir, em uma de suas canções, uma segunda voz que imediatamente reconheci com sendo do Paulo Novaes, um rapaz muito já conhecido por aqui (é amor demais, gente!). Então, segue neste fevereiro "O cantor", uma espécie de homenagem com oração que deixa a vida mais leve. 

O cantor
(Pramit Almeida e Paulo Novaes)

Canta que sai no ar
Canta pra te encontrar
Canta pra ver o sol no mar

Canta pra aliviar
Canta pra te alegrar
Canta pro coração curar

Canta pra despertar
Canta pra florescer
Canta pra não deixar de amar

Descobrir em mim quem sou
Mergulhar no interior do meu interior
 E encontrar aqui, agora

Canto
Por cantar eu canto
Cantarolando eu canto
Eu canto o caos
Eu canto a dor, a minha sorte, o meu amor
Canto, afinal, pra revelar a quem quiser os meus segredos (x2)

Canta que sai no ar
Canta pra te encontrar
Canta pra ver o sol no mar

Canta pra aliviar
Canta pra te alegrar
Canta pro coração curar

Canta pra despertar
Canta pra florescer
Canta pra não deixar de amar

Descobrir em mim quem sou
Mergulhar no interior do meu interior
 E encontrar aqui, agora

Canto
Por cantar eu canto
Cantarolando eu canto
Eu canto o caos
Eu canto a dor, a minha sorte, o meu amor
Canto, afinal, pra revelar a quem quiser os meus segredos (x2)

Pramit e Paulo cantando "O cantor" da maneira mais linda que pode existir.


OBS.: Alô, Paulo Lindo Novaes! 2015 vai ser o seu ano, meu querido! ❤

Mais Pramit:

O novo!

Um ano novo pede o novo. Um novo jeito de olhar, de agir, de ouvir, de pensar ou de amar. Quem sabe até um novo vestir ou calçar. Ou apenas uma nova forma floreada de se encantar e existir. E para quem espera sempre por um novo surpreendente que vem de algum lugar, no espaço-tempo, exterior e inerente a si eis que a grande espera possa ter, como seu principal suporte para findá-la, o novo. Que venha num estalo interior e se manifeste como um sorriso acolhedor. Viva o novo!