segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Novo!

Procurava algo novo que me distraísse do que já estava imersa. Foi sentindo essa necessidade que esbarrei, sem querer, em Pramit e a sua arte. Então, foi "só fechar os olhos e dançar sem ninguém ver criando a força pra viver" e assim segui meu dia (minha vida) descobrindo mais um novo e inesperado amor que encheu de sorrisos meu coração e logo no comecinho de 2015.

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

...

Acho que não sei. 
Não por não saber, mas por não querer saber ou pelo menos por não estar suficientemente feliz para abrir um riso e sentir que sabe, que entende ou que quer. Talvez seja de bom tom não compartilhar tal incoerência e deixar se fazer tranquilizar, com o tempo, qualquer incerteza desconcertante. Ou, quem sabe, aliviar através de não dizeres aquilo que não se sabe, soltá-los ao vento já que tudo está inconscientemente preso. 
Sem compromisso.
Ser minimamente indeciso. 
Não sentir o que não sabe e se continuar sentindo que seja, que se naturalize pro bem. Que torne-se algo que fortifique. Ou que apenas permaneça até que suma. Ao se dissolver não deixe rastro nem dor. E que no fim, leve apenas suspiros deixando risos. 

sábado, 10 de janeiro de 2015

2014/2015

Ainda não sei definir o que foi esse fim/início de ano pra mim. Uma mistura de emoções talvez chegue perto de alguma explicação do que tenha sido. Ou, quem sabe, uma experiência inusitada que teve um resultado tão incrivelmente maravilhoso que ainda não deu tempo de contabilizar os ganhos. Estar com a família é sem dúvida uma dádiva, ainda mais quando você se sente amada e querida. Recebendo de todos os lados carinhos, demonstrações de afeto sejam através de palavras, abraços, beijos ou pequenos gestos fofos e discretos. Eu nunca tinha sentido que estar entre primos e tios seria tão bom. Tantos sorrisos, passeios, cantorias e até princípios de estresse fizeram desta viagem diferente. 
Ir ao Maracanã assistir à um jogo, um sonho pra quem tem como amor o futebol (muito embora a maioria da torcida fosse do Flamengo! ¬¬), ver o Juninho Pernambucano - divo, mito, ídolo, Rei - jogando ao vivo, passear e andar pelo lindo Jardim Botânico, pela pista Claudio Coutinho na Urca (por favor, quero morar na Urca!), pela praia da Barra, descobrir os encantos de Niterói e seu Parque da Cidade e suas praias que possuem um dos pores de sol mais lindos de se presenciar, passar a virada do ano em Copacabana com os lindos fogos, andar horrores e terrores de metrô (e amar como se não houvesse amanhã e querer ter um pra si), sentir o calor do agitado centro, entrar em livrarias gigantescas, esbarrar em um Bob's  a cada esquina, correr atrás de um restaurante "japa" e ir à São Januário (completamente alone) num domingo de manhã. 
Enfim, retornar dessa viagem tão curta, mas tão especial não tem sido fácil. Ainda mais quando a única vontade é de voltar correndo pra lá. Contudo, quem sabe se isso não acontece logo logo, né? Coração está cheio de vontade e muito feliz. Por hora, isso que importa! 

segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

"... Queria saber falar com você ao invés de apenas olhar, ao invés de apenas olhar..."


(Bárbara Rodrix)

Siga esse som...


Para começar 2015 musicalmente lindo segue a canção "Sou eu agora", que expressa tudo que sempre sinto, composta pelos queridos Pedro Alterio e Paulo Novaes e interpretada pela Larissa Baq. A fim de dar prosseguimento ao grande ano musical que foi 2014, espero que o 'Siga esse som' mantenha-se ainda mais forte, cheio de amor e fazendo a minha felicidade neste 2015 que se inicia. Feliz ano novo!

Sou eu agora
(Paulo Novaes/Pedro Alterio)

O que seria se não fosse a minha vida o som

Se eu decidisse ser malabarista
Eu não seria eu se não fosse a minha vida assim
Não fosse o destino
Eu não seria um grão de sal
Me fez assim
Cada nuance
Por um instante
Uma escolha
Me fez agora



Não poderia ser se não fosse sempre o mesmo lar
Sem melodia eu não seria
O que seria eu
Se não fosse o amigo irmão
Não fosse a turma
Eu não seria
Por um sinal
Sou eu assim
Cada nuance
Por um instante
Uma escolha
Me fez agora
Cada nuance
Por um instante
Uma escolha
Me fez agora



Não poderia ser se não fosse sempre o mesmo lar
Sem melodia eu não seria
O que seria eu
Se não fosse o amigo irmão
Não fosse a turma
Eu não seria
Por um sinal
Sou eu assim
Cada nuance
Por um instante
Uma escolha
Me fez agora
Cada nuance
Por um instante
Uma escolha
Me fez agora



Cada nuance
Por um instante
Essa escolha
Me fez agora



Cada nuance
Por um instante
Essa escolha
Me fez agora