domingo, 27 de julho de 2014

Férias... Segundo semestre!

Depois de um semestre atripulado, cheio de greves, feriados, copa e aulas dia de sábado a tarde até perder de vista... Eis que as férias chegaram. Iupi!!! \o/ Uns 15 dias para repor o sono e adquirir fôlego pra mais um semestre de aprendizados e estresses (sempre tem, não adiantar dizer que não. Melhor aceitar e levar pra vida que dói menos!). Contudo, quando lembro que é pro sexto período que estou indo sinto um frio na espinha. Não por medo, mas por ansiedade e por perceber o quão rápido os anos têm passado e que logo, logo estarei me formando. 
Mas longe de sentir que a vida tem sido um repetir de dias e palavras, o segundo semestre de 2014 vem prometendo ser o mais diferente e esperançoso. Acho que, enfim ou talvez, a vida esteja se encaminhando para um curso levemente sofisticado e simples, com uma pontada ou como um principio daquilo que será pra sempre. Ou pelo que pretende-se que seja, por hora. Que os dias sigam da forma que for pra ser, mas sem perder esse encanto que se espera até que a realização de tudo que está quase a mão, enfim, se concretize. E que esses 15 dias de preparação sirvam pra exatamente isso, para aguardar por esses dias melhores! 

Siga esse som...

Siga o som de julho vem falando lá de longe, palavras escritas por quem é de perto e cantadas por quem também é de longe. "Carnaval em Curitiba", composta por Phill Veras (maranhense) e lindamente interpretada por Bernardo Bravo (paranaense). Além da letra e da interpretação serem lindas, conta também com toda a sutileza e beleza do piano de Bruno Piazza (já bem citado por aqui por conta do seu trio, o Oritá) que é dono de muito talento e encanto. Segue então:

"Carnaval em Curitiba"
(Phill Veras) 

Deixa eu perder timidez por ai
Vou falar por aqui palavrões
Deixa eu tomar da cachaça do Batista 
Eu não vou abusar

Deixa o neném nos meus braços, olha aí!
Olha só como pesa, olha aí!
Deixa eu sentir ciume de ti
Mas não deixa abusar.

Deixa eu pular carnaval em Curitiba
Deixa a poeira abaixar
Deixa eu tocar violão a tardinha
Deixa, eu não vou abusar. 

(x2)

Phill Veras cantando "Carnaval em Curitiba" na gravação do dvd "Gaveta" no Teatro da Cidade, aqui, em São Luís: http://www.youtube.com/watch?v=B7lr0E0jHbQ

Bernardo Bravo cantando "Carnaval em Curitiba" no cd "Arlequim" acompanhado do piano maravilhoso do Bruno Piazza: http://www.youtube.com/watch?v=LLHf_nG2J9g

Obs 1.: Esse ano terei um pouco de Natal em Curitiba, cerca de 40 minutos do dia 24 de dezembro apenas para abrir o apetite de novos ares, de novos desejos e possibilidades. Espero que seja bom!

Mais Phill Veras:

quinta-feira, 24 de julho de 2014

Leveza.

Talvez seja necessário voar. Ir em busca de uma nova esfera, de novos sonhos e desejos. Ir além do visível e se superar nas descobertas. Percorrer novos caminhos sem lembrar do passado. Ter, de fato, novos objetivos e não ficar ressentido por nada. Libertar os sonhos e sair da zona que nos limita a ser o mesmo de sempre e fazer as mesmas coisas sempre. Encontrar outros porques. Se sentir livre e leve pra caminhar e ver outras possibilidades sem precisar explicar cada passo, sem se machucar e sem sofrer. Deixar o tempo ser apenas o tempo, sem pressa. Cantarolar versos recém escritos e recitar novas palavras. Produzir sorrisos encantados e rodopiar como um verso sutil e flores. Ser, por fim, livre.

segunda-feira, 7 de julho de 2014

Pingo.

Sou um pingo.
Um pingo de alegria e tristeza.
Um pingo de sorriso e choro.
Uma pequena gota que estraga o vestido da menina.
Um tico de nada que causa uma dor alucinante.
Uma pontinha de algo que ilumina.
Um pingo do que torna a vida sem graça.
Sou a ausência dos termos e expectativas.
Sou um pingo de cada coisa que essencializa a vida.

domingo, 6 de julho de 2014

"... E as minhas revoltas são sinais de amor..."


Acho que todo mundo já se apegou a algum cantor/cantora ou a alguma música e teve seus momentos de "não passar um dia sem ouvir a música ou o cantor/cantora". Atualmente, estou tendo esse momento com "Revoltas Teatrais" do talentosíssimo Paulo Novaes. Cara, que música é essa? Vai, me explica! Já descrevi sobre a minha admiração pelo trabalho do Paulo aqui e o que posso afirmar é que esse moço não vai deixar de me (en)cantar tão cedo. Cada nova descoberta musical funciona como se eu recebesse um super abraço carinhoso de palavras e de uma voz maravilhosa que trazem alívio, aconchego e um desejo imenso de cantar junto como uma forma de solidarizar os sentimentos descritos nas letras das canções. Sendo assim, a minha ansiedade pelo cd e por um show é imensurável, torço para que ambos se realizem logo. Enquanto isso, sigo na minha dose diária de "Revoltas teatrais".



"Revoltas teatrais" na praça Victor Civita: https://www.youtube.com/watch?v=E56C55xioM4

...

Bloqueio criativo ou ausência de palavras intensas e reais pra descrever a vida atualmente (pra caso não exista criatividade!).