terça-feira, 31 de julho de 2012

Tempo


           O tempo passa. Passa que às vezes nem percebemos, outras vezes demora que parece que estamos vivendo uma eternidade. Entretanto, o tempo, ele sempre passa.

         Esse primeiro semestre, acreditei que o tempo era, na maioria das vezes, um senhorzinho marrento que implicava com até mesmo com o último fio do meu cabelo. Que estava pronto pra piorar todo dia a minha vida e que todas as dificuldades que me levariam ao fracasso de não concretizar meus planos seriam puramente por falta de tempo.

           Acreditei que o tempo corria só para que eu me ferrasse, que tola eu fui. Onde já se viu pensar que o tempo poderia me prejudicar? Como pude transformá-lo em uma figura humana e culpá-lo de algo que era culpa de pessoas reais, seres existentes que são incapazes de realizar os trabalhos que fazem parte de suas responsabilidades?

          Talvez eu quisesse criar um foco, algo em que poderia descontar toda raiva, angústia... criei no tempo um ponto de equilíbrio. Foi um erro, quem sabe? Meus problemas ainda não foram resolvidos e não, ainda não estou tranquila quanto à isso. Contudo, o tempo se tornou um amigo, de certa forma um ponto de equilíbrio sim, mas não pelos motivos de antes. 

          O tempo levou esse semestre da minha vivência para a minha vida, sendo a partir de então apenas mais uma página escrita no que eu sou. Acho que é assim mesmo, o tempo passou e me mudou. Então, vamos ao próximo semestre, esperando que as coisas melhorem e que o tempo possa me ajudar mais. 


Obs.: hoje fiz minha rematrícula no 2° período da faculdade. Um pouco de felicidade pra mim.                



sexta-feira, 20 de julho de 2012

Férias


Bom, meu primeiro semestre na faculdade se foi. Rsrs' Aprendi coisas fantásticas, convivi com pessoas diferentes, enfim, foi muito bom. É engraçado como a gente se sente feliz quando fazemos algo que nos agrada (bem diferente dos últimos 3 anos). 
Não tô querendo dizer que foi fácil, não, definitivamente não foi nada fácil. Contudo, foi de grande valia. Uma experiência incrível que eu gostei de ter vivenciado. Termino este semestre torcendo para que os próximos sejam tão proveitosos como este, quiçá melhores. 
Contudo, agora é férias. Aê! Esperei por isso há um ano. Até respirar tá sendo mais fácil, sinto-me tão leve.  Férias, eita palavra linda de meu deuso! (kkkk) Felicidade define o estado que meu ser se encontra. Só de pensar em dormir, ler meus livros lindos, acompanhar o Vascão e a Udinese, sair com os amigos mais efetivamente, deixam meus olhinhos brilhando.
Obrigada, você, que um dia teve a feliz ideia de parar por um mês suas atividades rotineiras e descansar um pouco, criando as férias!!! *-*

domingo, 8 de julho de 2012

Felicidade

Felicidade, essa dona mocinha que aparece e some quando menos se espera. Ou talvez, quando menos se queira. Acho engraçado encontrar a felicidade em coisas que, normalmente, passariam total despercebidas.

O que me faz feliz é tão relativo. Às vezes nem é preciso muito esforço para senti-la. Apenas um despertar diferente, uma sensação engraçada que faz com que um sorriso discreto apareça no rosto. Algo com se o coração também sorrisse com a mesma leveza com que os olhos brilham.

É, acho que felicidade é isso, sorrir com o coração. Um sorriso que começa nos olhos e contagia todo o ser. Ser feliz, tentar encontrar a felicidade nem sempre é fácil, contudo fui aprendendo com o que já vivi (não que eu já tenha vivido muita coisa) e com as pessoas que conheci (não que eu tenha conhecido muita gente) que mesmo quando nada mais faz sentido, mesmo quando a esperança parece sumir é possível sim ser feliz.

Assim que eu espero que continue, podendo encontrar nos detalhes aquilo que me satisfaz, o que renova a minha esperança, o que me fortalece e faz com que eu prossiga, sem desistir diante das dificuldades, o que faz com eu meu caminho se ilumine e eu enxergue novas possibilidades. É felicidade, você tem a capacidade de proporcionar isso. 

sábado, 7 de julho de 2012

Meus últimos meses, dias, horas...

Acredito que tudo que nos vem tem um sentido muito maior do que possamos imaginar. Aprendi que nem sempre aquilo que se quer pode se realizar no momento planejado e que nem sempre (na verdade, na maioria das vezes) as pessoas não estão disponíveis a concretizar aquilo que não é do seu interesse, mas que se não for feito pode prejudicar o próximo.

Bem dito que, nestes últimos tempos aprendi a não acreditar no que é feito em acordo, estou descrente de promessas e coisas a fim. Antes de sair por aí confiante naquilo que me dizem, prefiro esperar e me surpreender. Quem sabe algo positivo possa acontecer e um sorriso de satisfação possa pintar no meu rosto desacreditado pela falta de consideração alheia.

O tempo vai passando e a gente vai guardando cada coisa que vivenciamos, a fim de retirar de cada instante, de procurar em cada detalhe algo que possa fazer sentido e que de certa maneira nos mostre caminhos que nos levem ao que de fato queremos.

Não tá fácil passar por tudo sem sentir os arranhões, sem sentir na pele cada pseudo-derrota, sem se decepcionar, desacreditar nas palavras que antes pareciam-me tão fortes, tão inquebráveis, tão confortantes. O que pude perceber é que tais palavras são ditas apenas por se dizer, real valor não possuem, dignidade e credibilidade passam longe. 

Não estou sendo radical, apenas deixei de acreditar em palavras ditas. Não desejo mais ouvi-las, desejo vê-las. Quero que as palavras se realizem, existam, que elas deixem de pairar no céu das letras soltas ao favor do vento para se tornarem vivas, concretas, reais. Quero palavras em atitudes. Palavras em palavras são vãs, não valem, não existem, não há verdade nelas. 

Chega de palavras, já chega de discurso bonito, enfeites e brilhos. Não vou me enganar novamente. Definitivamente, a brincadeira acabou. 

sexta-feira, 6 de julho de 2012

Siga esse som...


Siga esse som de julho vem com "Pra te deixar viver",  conheci esta canção há pouco tempo e logo simpatizei, pois a abertura é semelhante a de Snobs um seriado muito fofo e que amo. A letra me traz algumas recordações. Enfim... vale a pena. ;)                                                                                                                                                          
                             
Pra te deixar viver
Leoni

Pra te deixar viver
Resolvi fazer minhas malas

E pra não te perder

Vou dormir aqui na tua sala

Quem de nós chegou ao fim dessa estrada?

Se em cada curva há um sol por nascer

Vou sentir falta de ninguém

Vou chorar nenhuma lágrima

Descobrir que pra mim também,
Era apenas gota d'agua
Pra me deixar viver...

Pra te deixar viver

Eu preciso abrir uma porta,

Mesmo sem perceber,
Que tua paixão está morta

Quem de nós chegou ao fim dessa estrada?

Se em cada curva há um sol por nascer

Vou sentir falta de ninguém

Vou chorar nenhuma lágrima

Descobrir que pra mim também,
Era apenas gota d'agua
Pra me deixar viver...