terça-feira, 26 de junho de 2012

Amizade.


Acho que o poema abaixo consegue explicar tudo que queria dizer, mas que não tive como reunir tais palavras. Devo agradecer à Alessandra S. L. Nascimento por, de certa maneira, ter feito isto por mim. rs'


Amizade

"Amigos verdadeiros, são para sempre porque...
não importa a distância,
no coração estarão sempre perto.
não importam as diferenças,
no coração sempre terão um ponto de acordo.
não importam as brigas,
no coração sempre haverá lugar para o perdão.
não importam circunstâncias,
sempre haverá um ombro para recostar,
mãos para ajudar,
olhos para enxergar e chorar de alegria e dor,
bocas para expressar as verdades e sorrir.
Amigos, verdadeiros são para sempre, porque
quando dois corações se unem, formando um só,
DEUS se manifesta ali, através do amor
e o amor é mais forte que a morte,
é benigno, paciente, tudo sofre, crê, supera.
não se ufana, nem se ensoberbece, apenas ...ama.
certamente, permanece."


Alessandra S. L. Nascimento

Aos amigos de sempre: Diego Muniz, Fabiana França, Flamilla Pinheiro, Bruno Adrian, Manuelle Serêjo e Beatriz Prado. 

domingo, 10 de junho de 2012

sobre a dona criatividade!



Nos últimos tempos minha vida anda muito corrida, entretanto a vontade de continuar escrevendo aqui não me abandona... é bem verdade que às vezes dá preguiça, faltam ideias e coisas afim. 


Hoje, por exemplo, é daqueles dias em que se tem vontade, tempo, mas não se tem ideias consideravelmente boas. Mas não seja por isso, venho aqui reclamar daquilo que deveria ter e não tenho, ou seja, criatividade. 


Na possibilidade de algum momento surgir algo que valha a pena. Na verdade, tanto faz. Não sei se fará alguma diferença... não, estou errada. Criatividade é algo que pode surgir a qualquer momento e que se houver alguma coisa que estimule, até pode aparecer de forma mais rápida.


Só que não tenho tanta certeza se estou estimulando a minha criatividade de maneira muito eficiente. Na verdade, eu não estou estimulando-a, comprova-se isso pelos meus últimos textos de pura melancolia sobre minha vida que se arrasta no cansaço do viver. Vai passar. Afinal, tudo passa e assim seja.


Depois de tais palavras, pensei um pouco e percebi que há um erro nos meus momentos de vontade para postar algo neste blog (o.O Ok, já tinha dito algo parecido no segundo parágrafo, mas aqui tentarei justificar tal afirmativa. Tenham paciência!). 


Sim, meus caros, percebi que só posto quando o vago vem a minha mente, logo, presume-se que nada de razoavelmente bom vai acontecer. E a ideias, que na incógnita mente minha, parecem ser extremamente legais ( sim, me iludo facilmente com minhas ideias!), só ocorrem em situações que se torna impossível acessar o blog, como por exemplo: no ônibus em pé (amo/sou ter ideias no ônibus), descendo a ladeira da FAU, na hora da aula do inglês e antes de dormir.   


Bem que alguém poderia vir me falando "mas e daí? É só você guardar as ideias pra não esquecer!", como se isso fosse a coisa mais fácil do mundo. Só que nããããoooo... não consigo guardar todas as ideias "legais" que tenho. Então, resta-me torcer para que no próximo post a criatividade venha dá uma forcinha. rs'




sábado, 9 de junho de 2012

...


Às vezes a gente tá gritando, mas ninguém nos ouve. Sinto-me tão monótona apesar de ter tantas atividades, tantas coisas para resolver. Entretanto, nada parece suficiente. A sensação que tenho é que falta alguma coisa. 

Às vezes penso: "não, não é nada demais... só estou cansada e talz"  só que não... sinto como se não estivesse dando o meu melhor, como se não estivesse dando o real valor para aquilo que me propus a fazer. Porém, sei que não é verdade. Acho que estou exigindo muito, só que ao mesmo tempo, acho que estou deixando tudo ao léu e que preciso fazer mais, me focar mais, superar o cansaço e o que tiver que ser superado.

Não sei mais o que pensar, sentir ou fazer. Talvez esteja confusa, realmente muito cansada ou não sei. Parar de me preocupar quem sabe não seja o melhor? Nunca fui de ficar supondo coisas, nem gosto, só que esses últimos tempos tem sido só assim e o que me cansa mais é saber que tô só nessa. Que nenhuma pessoa pode perceber meu sorriso triste ou minhas lágrimas sutis.

Acho que eu acreditava em uma solução vinda de alguém que conseguiria me mostrar outros ângulos. Ângulos estes que não consigo ver agora, só que não... não houveram outras pessoas, não existiram outros ângulos, não apareceram soluções. E continuei só, com minha dúvidas, incertezas, meu cansaço, enfim, comigo mesma.

Mas agora, só me restam as próximas palavras para resumirem meus próximos dias: Nothing really matter, anyone can see. Nothing really matter, nothing really matter to me... e assim que vai ser. 


quinta-feira, 7 de junho de 2012

Sonhar...


Sonhar. Simplesmente sonhar. Não entender o porquê de sonhar, só sonhar. Sonhar é inerente, sem preconceito, sem distinção, sem limites. Os sonhos não possuem padrões, são até reais.

Expressam de forma mais sincera nossos mais profundos desejos, sem desvios ou intermédios. Nos sonhos somos nossa real imagem, somos aquilo que sentimos. Somos verdadeiramente, naturalmente o que somos enfim.

Nos sonhos, tudo e nada são permitidos. Sonhar vai além do que julgamos ser o ser. Sonhar é um bem fantástico, um momento grandioso e único que deve ser aproveitado da melhor maneira possível.

Sonhar é sorrir diante do choro, agradecer diante do que é desastroso. É relevar o inconveniente, diminuir distâncias, encurtar sofrimentos, é expandir leveza, tornar o impossível possível, acreditar no que não se acredita mais, renovar o que se pensa e repensar o começo, o meio e o fim.

Por vezes, sonhar é um refugio da solidão. Por outras, um espaço de descoberta,  um instante de vida e de viver, de aprender e reconhecer, de respirar, de tranquilidade. Sonhar sempre me ajudou, me motivou, me fez lutar e alcançar meus objetivos. Foi onde encontrei as minhas razões para seguir adiante, onde achei a força pra continuar meu caminho e chegar onde quis e onde quero.

Seguirei sonhando, confiando e respirando com o máximo de tranquilidade que me for permitido. E não desistir de sonhar, independentemente do que ocorra. Sonhar, apenas. 

sábado, 2 de junho de 2012

Siga esse som...

Eu amo/sou conhecer novos cantores e compositores, novas vozes, melodias encantadores, enfim... amo/sou compartilhar isso com quem gosto. Então, no Siga esse som... deste mês é com Arthur Nogueira, um cantor paraense. Com a canção "Mal Secreto".


Mal Secreto
Arthur Nogueira
Não choro.
Meu segredo é que sou um rapaz esforçado.
Fico parado, calado, quieto.

Não corro, não choro, não converso.
Massacro meu medo.
Mascaro minha dor.
Já sei sofrer.

Não preciso de gente que me oriente.
Se você me pergunta.
Como vai?
Respondo sempre igual.
Tudo legal.

Mas quando você vai embora.
Movo meu rosto do espelho.
Minha alma chora.
Vejo o Rio de Janeiro.
Vejo o Rio de Janeiro.
Comovo não salvo não mudo.
Meu sujo olho vermelho.
Não fico parado.
Não fico calado.
Não fico quieto.
Corro choro converso.
E tudo o mais jogo num verso.
Intitulado MAL SECRETO.