sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Siga esse som...

Para dezembro, Thiago Pethit com a música "O último a saber":

O Último A Saber

Thiago Pethit

Ando pelas ruas
Meus sapatos gostam do asfalto
Tenho as mãos geladas
No meu bolso levo teu nome no verso
Atravesso a noite
A manhã se esfrega nos meus olhos
Danço em falso
Como se fosse o último a saber de mim
Tudo vai mudar

Muito fofa, né?!;)

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

A amizade

Desde os tempos mais remotos, o homem sente a necessidade de se relacionar. Entrando em contato com outros seres, sendo possível expressar opiniões, ideias, compartilhar alegrias e tristezas.

A partir desta necessidade surgiu a figura do amigo. Um ser em que se encontra características, pensamentos, escolhas, desejos e objetivos que podem ser compatíveis ou não com as dos que necessitam.

Quando duas crianças se veem pela primeira vez, na  escola ou no parque, não é preciso muito tempo para que estejam brincando como se já se conhecessem. Para que uma verdadeira amizade aconteça basta sermos o que, de fato, somos.

Em "O Pequeno Príncipe", a raposa diz ao principizinho: "Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas". Quando se cativa é preciso assumir a responsabilidade de cuidar e preservar esse bem tão importante. Entretanto, as pessoas esqueceram disso.

A amizade vem sendo vista como uma maneira de se obter vantagens, deixando a ternura, a compreensão e o companheirismo de lado. Muitas vezes, não valorizamos as amizades que temos e utilizamos do egoísmo e do individualismo para viver.

Então, resta-nos relembrar a infância para reaprender a cultivar e reconhecer a verdadeira importância da amizade.

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Brasileirão 2011.

Não foi dessa vez, mas 2011 foi um ano muito importante para o Vasco. Diante das dificuldades e dos momentos tristes soubemos superá-los e acabamos por mostrar que o Gigante da Colina está de volta, com mais garra, determinação e com a sua grande e maravilhosa torcida reconquistada e mais apaixonada.

Aos que, como eu, nunca deixou de acreditar no potencial cruzmaltino fica a certeza de que em breve estaremos comemorando mais títulos. Em 2011 tivemos o prazer de soltar o grito de 'É CAMPEÃO' com a Copa do Brasil garantindo vaga na Libertadores 2012, fomos o único time brasileiro à chegar, pelo menos, na semifinal da sul-americana e ficamos em segundo no Brasileirão.

Não vencemos a Sul-americana e nem o Brasileirão, competições que ocorreram paralelamente. Mas vimos nossos guerreiros lutarem até o fim, vimos a satisfação nos olhos daqueles que acreditaram, vimos sorrisos, vimos lágrimas de alegria, de tristeza e de emoção.

O importante é que lutamos, enfrentamos desafios com coragem, prontos para o que viesse. Não desistimos, não fracassamos. Aprendemos muito. Aprendemos a confiar, acreditar e a ver que cada pequeno passo é válido.

As críticas e as opiniões alheias sempre existirão, resta-nos saber filtrá-las. E continuar caminhando. Em 2012, que venha Libertadores, Brasileirão, Carioca, enfim... estaremos prontos.

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

...

Tempo Será

A Eternidade está longe
(Menos longe que o estirão
Que existe entre o meu desejo
E a palma da minha mão).

Um dia serei feliz?
Sim, mas não há de ser já:
A Eternidade está longe,
Brinca de tempo-será.

(Manuel Bandeira)

Vasco é só emoção!

A última rodada do brasileirão se aproxima e a emoção só aumenta. Decisão de campeonato. Grande final em que saberemos quem será o campeão do brasileirão 2011.

Jogo passado foi pura emoção. Até chorar, chorei. Jogo difícil e quando tudo parecia estar perdido eis que aparece Bernado para brilhar e fazer resurgir a esperança cruzmaltina dentro dos nossos corações. E por fim, adiar a decisão.

O Vasco me ensinou a ser paciente e ir até o fim. Não perder a esperança e nem jogar tudo para o alto quando ninguém mais acredita. Confiar, ter fé e nunca desistir antes do apito final.

Se for preciso chorar, pode chorar, ser for possível sorrir, pode sorrir. Poder de superar os desafios mais difíceis e impossíveis teu nome é VASCO DA GAMA!

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Siga esse som...

Encontro
Maria Gadú
Sai de si
Vem curar teu mal
Te transbordo em som
Poe juizo em mim
Teu olhar me tirou daqui
Ampliou meu ser
Quero um pouco mais
Não tudo
Pra gente não perder a graça no escuro

No fundo
Pode ser até pouquinho
Sendo só pra mim sim

Olhe só
Como a noite cresce em glória
E a distância traz

Nosso amanhecer
Deixa estar que o que for pra ser vigora
Eu sou tão feliz
Vamos dividir

Os sonhos
Que podem transformar o rumo da história
Vem logo
Que o tempo voa como eu
Quando penso em você

Olhe só
Como a noite cresce em glória
E a distância traz

Nosso amanhecer
Deixa estar que o que for pra ser vigora
Eu sou tão feliz
Vamos dividir

Os sonhos
Que podem transformar o rumo da história
Vem logo
Que o tempo voa como eu
Quando penso em você.

Maria Gadú falando um pouco por mim.

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Um mês depois...

Um mês se passou e eu percebi que completar 18 faz diferença e que, sim, as coisas realmente mudam. De forma gradual, mas significativa.

A forma como somos tratados por outras pessoas ao saberem que já temos 18 traz aquele sorrisinho interno de satisfação e reconhecimento.

Até mesmo uma pontinha de demonstração de mais respeito é notável. Não sei se com todos é assim, mas 18 é bem melhor que 17. E não, não tenho medo das responsabilidades e do grau de dificuldade que virão como consequência do tamanho reconhecimento.

Espero que tudo continue indo tranquilamente bem.

OBS.: graças aos 18 doei sangue. E agora sou doadora, coisa que planejava há tempos. Assim que passar os três meses da recuperação estarei boazinha lá na HEMOMAR. Rs. E isso é o que vale. ^^

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Siga esse som...


Para o mês de novembro: Tulipa Ruiz. ^^
 Às Vezes
Tulipa Ruiz

Às vezes quando eu vou à Augusta
O que mais me assusta é o teu jeito de olhar
De me ignorar
Toda em tons de azul

Teu ar displicente invade meu espaço
E eu caio no laço exatamente do jeito
Um crime perfeito
It's all right, baby blue

Garupa de moto, a quina da loto saiu pra você
Sem nome e o endereço é de hotel, eu mereço
Até outra vez


Às vezes quando eu chego em casa
O silêncio me arrasa e eu ligo logo a TV
Só então eu ligo pr'ocê, descubro que já sumiu

Não sei em qual festa que eu te garimpei
Cantanto "lay mister lay", será que foi no meu tio?
Ou em algum bar do Brasil...
Sei lá, eu fui mais de mil

Cheguei bem tarde, o vinho estava no fim
E alguém passou o chapéu pra mim e gritou
É grana pra mais bebum e eu não paguei

Às vezes quando eu vou ao shopping
Escuto "Money for Nothing" e então começo a lembrar
Que eu tocava num bar e que uma corda quebrou

Foi um deus-nos-acuda, eu apelei pro meu Buda
Te peguei pelo braço e nós fomos embora
Eu disse: Baby, não chora, amor de primeira hora

A vida é chata, mas ser plateia é pior
E que papel o meu
Chá quente na cama, sorvete, torta, banana, lua de mel.

Às vezes quando eu vou ao centro da cidade
Evito, mas entro no mesmo bar que você
Nem imagino o porquê, se eu nem queria beber

Reparo em sua roupa, na loira ao seu lado
No seu ar cansado que nem mesmo me vê
Olhando pr'ocê, pedindo outro "fernet".
Será que não chega, já estou me repetindo
Eu vivo mentindo pra mim
Outro sim, outra "trip", outro tchau
Outro caso banal, tão normal, tão chinfrim

Às vezes eu até pego uma estrada
E a cada belo horizonte eu diviso o seu rosto
A face oculta da lua soprando ainda sou sua.

domingo, 23 de outubro de 2011

Enfim, 18! \o/

Não sei se cresci rápido demais, se mudei muito, se fiz tudo que deveria fazer. Só sei que fui feliz em cada fase, vivi cada idade em seu tempo. Mas enfim, a gurizinha dos cachinhos feitos pela mamãe cresceu e agora já tem 18 anos (que lindo, ou não!o.O).

Sonhar continua sendo minha prioridade. Sei que minha vida não vai mudar radicalmente por eu ter completado 18, entretanto já posso tirar a carteira de motorista (carona, gente!) e sair dirigindo até o Rio  para ver os familiares (tá que mamãe deixa!).

De fato, não sei como será a partir de agora. Talvez eu tenha mais coisas para me preocupar, responsabilidades que antes não me eram dadas. Ou então, não mude muita coisa, afinal, ainda moro com meus pais (amém!).

A ideia de que estou crescendo e tornando responsável por mim mesma ainda me parece bastante assustador, mas nada que não possa ser superado (eu espero!).


 Olhar para trás e ver tudo que passei, cada momento, cada festinha de aniversário com aquela gurizada toda que morava na minha rua, cada ano escolar em que eu me orgulhava por passar com boas notas, cada queda segura que levava, cada machucado diferente que adquiri em situações até que engraçadas (cortes no pé e portada no nariz), enfim, cada idade tem uma história, algo que difere e que faz ser inesquecível.

O tempo está passando e eu sei muito bem que não será possível, daqui a uns anos, lembrar de cada dia legal que vivi, de cada pessoa que conheci, mas tenho certeza que estará guardado, marcado dentro de mim. 

 E continuar vivendo, sem mais delongas. Ir em busca do futuro e de ser cada dia mais feliz. Satisfeita com o meu jeito atrapalhado e com a minha voz que deixa bem claro que a minha infância ainda perdura (o que não me fará esquecer!). Feliz Aniversário pra mim, gente! \o/

E  enfim, 18! *-*

domingo, 16 de outubro de 2011

...

Juntei pensamentos e palavras, mas não adiantou muita coisa. Nem sempre é possível expressar o que sentimos por intermédio de palavras ou, pelo menos, nem todo mundo consegue. 

Desde já, deixo claro que faço parte do grupo dos que não conseguem manifestar suas ideias, pensamentos e opiniões de maneira oralizada.

Entretanto, para sorte (ou azar!) vez por outra tal questão é resolvida. E logo vem uma enxurrada de palavras que fazem sentidos juntas e a impossibilidade de se fazer compreender, simplesmente, some.

A sensação de se tornar comum e comunicativa não demora muito a ir embora, talvez até em boa hora. Pois, faz parte da vida de quem pouco fala o silêncio.  E confesso que esse senhorzinho é viciante.

Se perder em si, inerte ao silêncio, fazer das palavras o que quisermos. Pensamentos voando, sem vozes atrapalhando, ideias soltas sem sentido ao vento. Sem importância pensar nelas juntas. 

A displicência do movimento dos pensamentos  flutuando como algo banal, faz parte da nossa realidade de seres ouvintes sonhadores silenciosos.

domingo, 9 de outubro de 2011

Siga esse som...

Porque outubro é um mês fofo e merece uma música fofa, né?! *-* Então, com vocês: China, cantor pernambucano, com a música Anti-herói.

Anti-herói
China

Quase nunca tive a chance
De contar com meu herói
Velha capa sem lembrança
Onde a poeira ficou

Eu sempre me vi sozinho
Na alegria ou na dor
Nas reclamações em casa,
Sem ter voz para dizer
Que eu também vou ser herói
Saberei me defender
Para me livrar do medo
Para projetar meu sonho em alguém...

Eu dei o tom para Matheus dançar
Só mais uma canção para alguém
Cantarolar lalalalalalalala lalalalalalalala lalalá

Sem querer a minha infância
Desapareceu veloz,
Quando eu me vi no espelho
Parecia com meus pais
Quero educar sem medo
As crianças que hoje eu sou
Para um parque tão divertido
Me carregam duas mãos

 Eu dei o tom para Matheus dançar 
Só mais uma canção para alguém
Cantarolar lalalalalalalala lalalalalalalala lalalalalalalala lalalalalalalala lalalá...

terça-feira, 4 de outubro de 2011

E a Bolívia Querida?

 A Bolívia disputava a Série D do Brasileirão, com o olho numa vaga para a C, porém todos os planos foram interrompidos no último domingo.

A intensão era por um mero empate, que garantiria a continuação no campeonato, uma vez que no primeiro jogo o Tubarão venceu o Cuiabá-MT por 2 a 1. Entretanto nada saiu como planejado. O Cuiabá-MT goleou de 3 a 0, em  Cuiabá, no Estádio Presidente Dutra.

O primeiro gol foi marcado aos 6 minutos do 1º tempo, pelo meia Fernando que depois de driblar dois marcadores, chutou na saida do Rodrigo Ramos.

Aos 30 minutos do segundo tempo, o atacante Tozin, após uma jogada individual de Fernando marcou o segundo do Cuiabá-MT. E aos 44, Tozin marcou novamente. Fim de jogo e de campeonato para o Paio. 

sábado, 1 de outubro de 2011

Êô êô, outubro chegou!

Depois de muito tempo sem ter o que postar por pura falta de criatividade temperada com preguiça (fazer o quê, né?!Acontece!), eis que apareço por aqui para dizer o quão feliz estou.

Essa felicidade toda tem um motivo muito especial. Hoje é dia primeiro de outubro e outubro é o mês mais ''legal de bom" que eu conheço, uma vez que é o mês do meu aniversário. Uma data aguardada durante todo o ano por mim.

Começa outubro e a ansiedade pelo meu dia toma conta do meu ser, talvez por essa razão seja um mês tão mágico e fofo (sem brincadeira, o nome outubro é extremamente fofo! *-*). Por isso, compartilho com vocês esse sentimento que faz parte das minhas esquisitices (nem inventa que todo mundo tem a sua.). Além, é claro, de saudar a chegada do meu mês favorito.

Para comemorar aí vai um poema sobre outubro do escritor Dylan Thomas:

POEMA DE OUTUBRO



Era o meu trigésimo ano rumo ao céu
Quando chegou aos meus ouvidos, vindo do porto
e do bosque ao lado,
E da praia empoçada de mexilhões
E sacralizada pelas garças
O aceno da manhã
Com as preces da água e o grito das gralhas e gaivotas
E o chocar-se dos barcos contra o muro emaranhado de redes
Para que de súbito
Me pusesse de pé
E descortinasse a imóvel cidade adormecida.
Meu aniversário começou com as aves marinhas
E os pássaros das árvores aladas esvoaçavam o meu nome
Sobre as granjas e os cavalos brancos
E levantei-me
No chuvoso outono
E perambulei sem rumo sob o aguaceiro de todos os meus dias.
A garça e a maré alta mergulhavam quando tomei a estrada
Acima da divisa
E as portas da cidade
Ainda estavam fechadas enquanto o povo despertava.
Toda uma primavera de cotovias numa nuvem rodopiante
E os arbustos à beira da estrada transbordante de gorjeios
De melros e o sol de outubro
Estival
Sobre os ombros da colina,
Eram climas amorosos e houve doces cantores
Que chegaram de repente na manhã pela qual eu vagava e ouvia
Como se retorcia a chuva
O vento soprava frio.
 No bosque ao longe que jazia a meus pés.
Pálida chuva sobre o porto que encolhia
E sobre o mar que umedecia a igreja do tamanho de um caracol
Com seus cornos através da névoa e do castelo
Encardido como as corujas.
 Mas todos os jardins
Da primavera e do verão floresciam nos contos fantásticos
Para além da divisa e sob a nuvem apinhada de cotovias.
Ali podia eu maravilhar-me
Meu aniversário.
 Ia adiante mas o tempo girava em derredor.
Ao girar me afastava do país em júbilo
E através do ar transfigurado e do céu cujo azul se matizava
Fluía novamente um prodígio do verão
Com maçãs
Pêras e groselhas encarnadas
E no girar do tempo vi tão claro quanto uma criança
Aquelas esquecidas manhãs em que o menino passeava com sua mãe.
 Em meio às parábolas
Da luz solar
E às lendas da verde capela
E pêlos campos da infância duas vezes descritos
Pois suas lágrimas me queimavam as faces e seu coração
se enternecia em mim.
Esses eram os bosques e o rio e o mar
Ali onde um menino
À escuta
Do verão dos mortos sussurrava a verdade de seu êxtase
Às árvores e às pedras e ao peixe na maré.
E todavia o mistério
Pulsava vivo.
 Na água e nos pássaros canoros.
E ali podia eu maravilhar-me com meu aniversário
Que fugia, enquanto o tempo girava em derredor.
Mas a verdadeira
Alegria da criança há tanto tempo morta cantava
Ardendo ao sol.
Era o meu trigésimo ano
Rumo ao céu que então se imobilizara no meio-dia do verão
Embora a cidade repousasse lá embaixo coberta de folhas no sangue de outubro.
Oh, pudesse a verdade de meu coração
Ser ainda cantada
Nessa alta colina um ano depois.

DYLAN THOMAS



domingo, 11 de setembro de 2011

Siga esse som...

Tanto
Beto Guedes

Meu amor não leva a mal
Chega de maltratar
Quem só quer bem
E não tem mais razão de suportar
Tanto

Sendo assim não leva a mal
Para de machucar
Quem sempre te amou
E já não tem razão de duvidar
Tanto

Sua pessoa para parava a tarde suspensa
Chamo o seu nome
E logo se acende a luz

Sendo assim melhorar parar
Cuida pra não cegar
E nem perceber
Que já não tem razão pra me deixar
Tonto

Sua presença chama, chamava o dia mais cedo
Tudo acendia
Ficava sempre acesa a luz
Sem querer injuriar
Trata de se ligar
Você me ganhou
E quem ajoelhou tem de rezar.

Beto Guedes sempre, né?! Claro, ele é Rei. ;)

domingo, 4 de setembro de 2011

#ForçaRicardoGomes

                                                               
Após uma semana do AVC sofrido durante o clássico entre Vasco e Flamengo que terminou em zero a zero, o nosso professor Ricardo Gomes, continua internado no Hospital Pasteur com o quadro clínico e neurológico estável.

Na noite do domingo após sua saída do estádio na ambulância, Ricardo Gomes passou por uma neurocirurgia  para drenagem do hematoma cerebral e para o controle da hipertensão intracraniana, o procedimento durou cerca de 3 horas e foi considerado um sucesso pelos médicos que deixaram nós, (torcedores), os jogadores, os familiares e, enfim, à todos com uma certa tranquilidade.

Durante a semana foi  feita a retirada da sedação e foi iniciado o trabalho de fisioterapia para a recuperação motora e respiratória. Entretanto, na sexta (02/09), foi preciso sedá-lo novamente. O quadro continua estável e sem previsão de alta e as visitas estão restritas aos familiares.

As manifestações de apoio e solidariedade vem de todas as partes. Diversos times nos jogos da semana fizeram homenagens com faixas desejando melhoras e com o nome do Ricardo na camisa. Mas os desejos de melhoras não se resumiram aos times, as torcidas se organizaram para apoiá-lo. No twitter, no hospital e nos jogos as demonstrações de carinho e respeito foram visíveis.

Foi muito lindo e emocionante ver a torcida do Vasco gritando "Ricardo, essa vitória é pra você!" no jogo contra o Ceará, em que o Vasco venceu de 3 a 1. As orações e desejos de melhoras continuam. Afinal, ele pode contar com a nossa torcida pela sua recuperação, ora ele é o NOSSO PROFESSOR. #ForçaRicardoGomes

domingo, 21 de agosto de 2011

Vasco 113! ;)


Há um ano estava eu aqui, neste mesmo lugar, falando de um certo aniversariante. Bom, mais uma vez apareço para comemorar e compartilhar essa data tão especial (Êêê...).

Eu sei, parece que foi ontem que vimos o Fernando Prass vestindo a camisa dos 112 anos do Vasco, mas já tem um ano :'). E quem terá o orgulho de vestir a número 113 é o MITO, Dedé, e muito merecido por sinal. \o/

É fato que 113 anos não é para qualquer um. Cada dia, cada ano que passa o amor e o orgulho só se multiplicam e conquistam mais e mais torcedores apaixonados.

São pessoas que por ti choram, riem, gritam, que te defendem até o fim. Que construiram uma vida ao teu lado. Vasco da Gama, PARABÉNS por estes 113 ANOS de glórias, de história, de força, de união.

Estaremos sempre ao teu lado para perpetuar tua história. Em qualquer lugar, em qualquer situação, longe ou perto. Não importa. O que vale mesmo é o sentimento que cada um de nós carrega dentro do coração e pode ter certeza que não é pouco.

Parabéns e obrigada por sempre fazer a tua imensa torcida bem feliz! ^^

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Erra uma vez

"Nunca cometo o mesmo erro duas vezes

já cometo duas

três

quatro

cinco

seis

até esse erro aprender que só o erro tem vez."

(Paulo Leminski)


domingo, 31 de julho de 2011

Siga esse som...

Maria Solidária 

Beto Guedes
Composição: Fernando Brant/Milton Nascimento

Eu choro de cara suja
Meu papagaio o vento carregou
E lá se foi pra nunca mais
Linha nova que pai comprou...

Dança Maria, Maria
Lança seu corpo jovem pelo ar
Ela já vem, ela virá
Solidária nos ajudar...

Não fique triste, menino
A linha é tão fácil de arranjar
Venha aqui, venha escolher
Papagaio de toda cor...

A casa estava escura
No vento forte a chuva desabou
A luz não vem, eu aqui estou
A rezar na escuridão e só...
Venho no vento da noite
Na luz do novo dia cantarei
Brilha o sol, brilha o luar
Brilha a vida de quem dançar...

Eu sei, esse mês já teve um "Siga esse som...", mas é que eu gosto tanto de Beto Guedes e acho essa música tão a cara de Ouro Preto (ultimamente eu ando pensando muito nessa cidade!) que não resisti e postei. Espero que entendam e gostem. ^^  

terça-feira, 26 de julho de 2011

Dia dos Avós


Queria poder contar o quão feliz essa data me faz, entretanto, hoje em dia não é mais a felicidade que toma conta do meu ser. Uma vez que, os homenageados deste dia não encontram-se mais entre nós.

A lembrança e a saudade se tornam mais fortes em datas especiais. Fico triste por não ter como abraçar e beijar meus avós. Eu até poderia deixar de escrever num dia como este, mas não seria justo com os meus sentimentos.

A ausência dói, machuca, parece sufocar, mas não é maior do que o carinho e o amor que sinto e que sempre sentirei por eles que foram fatores importantes para a minha existência. Homenageá-los escrevendo aqui faz com que eu me sinta bem e a saudade, ela sempre vai existir.

Espero que quem tem seus avós por perto dedique à eles o carinho mais que merecido, pois eu adoraria ter os meus novamente ao meu lado.

Aos meus queridos avós, em especial à vovó Yolanda (a única que conheci) obrigada pelos momentos vividos, pelos meus pais, pelo carinho e pela preocupação. Cada dia que passamos juntas, mesmo que tenham sido poucos devido a distância, estão guardados na minha mente e no meu coração. Nunca me esquecerei de você, minha eterna vovó Lalanda.

E enfim, à todos os avós: Feliz dia dos Avós.

Especial: Vovó Yolanda, vovó Madalena, vovô Ayrton e vovô Severino. Eu os amo muito.

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Siga esse som...

Seja O Meu Céu
(Robertinho de Recife/Capinam)
Na voz de Fernanda Takai.

Seja o meu céu
Seja o seu céu

O céu azul do meu destino
O céu de Ícaro e de Galileu
O céu de coro nordestino
Onde eu e Buñuel
Procuro o fogo de Prometeu
No caminho de Santiago
Eu. Clarisse e Manuel
Três Marias, Sete Estrelas
Constelações dos meus cabelos
No céu, no céu, no céu

Com o meu baião estarei
Desenhando um outro céu
Com o meu baião estarei
Desenhando um outro céu

Onde brilhem os olhos seus
Onde brilhem os olhos seus

O céu azul do meu destino
O céu de Ícaro e de Galileu
O céu de coro nordestino
Onde eu e Buñuel
Procuro o fogo de Prometeu
No caminho de Santiago
Eu. Franciso e Isabel
Três Marias, Sete Estrelas
Constelações dos meus cabelos
No céu, no céu, no céu.

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Feliz Dia do Amigo.

Soneto do amigo

Enfim, depois de tanto erro passado
Tantas retaliações, tanto perigo
Eis que ressurge noutro o velho amigo
Nunca perdido, sempre reencontrado.

É bom sentá-lo novamente ao lado
Com olhos que contêm o olhar antigo
Sempre comigo um pouco atribulado
E como sempre singular comigo.

Um bicho igual a mim, simples e humano
Sabendo se mover e comover
E a disfarçar com o meu próprio engano.

O amigo: um ser que a vida não explica
Que só se vai ao ver outro nascer
E o espelho de minha alma multiplica...

Feliz dia do amigo para vocês que fazem dos meus dias únicos. Que compartilham alegrias e tristezas. Que riem, choram, cantam, brigam, que me ouvem falar horas e mais horas daquelas jogadas perfeitas do Felipe e do Diego Souza, das arrancadas delirantes do Éder Luís, das defesas sensacionais do Fernando Prass, da chegada do Reizinho (eu sei, passei semanas falando. Rs), e que também me escutam reclamar (e por vezes, elogiar) do Allan na lateral e enfim... de tudo sobre o Vasco. Obrigada por cada instante da companhia de vocês e pela compreensão...
...Em especial: Flamilla Pinheiro, Vanessa Ribeiro, Diego Muniz, Talita Guimarães, Carol Rios, Daniel Rocha, Fernando Hoffmann, Manuelle Serêjo, Maxwell Cayron e Fabiana de França.
E claro, aos vascaínos(as) que fazem toda a diferença antes, durante e depois dos jogos.
;)

sábado, 16 de julho de 2011

Hino da Udinese Screenshot

Hino do Udinese

           Un'emozione forte, bianco-nero per la vita                             
se poi la notte è magica, l'Europa è una partita
una città, una terra, cento anni in una sera
lo stadio canta una canzone, alziamo la bandiera!

Vinci per noi, magica Udinese
vinci per noi, grande cuore bianco-nero!

E vada come vada, sarete i nostri eroi
e torneremo a casa raccontando anche noi
noi c'eravamo eccome, abbiamo vinto ancora
andiamo avanti insieme, Udinese nella storia!

Vinci per noi, magica Udinese

vinci per noi, grande cuore bianco-nero!

Hino do Udinese
 
 A emoção forte, preto e branco para a vida

Então, quando a noite é mágica, a Europa está jogando
uma cidade, uma terra, uma centena de anos em uma noite
o palco cantando uma canção, levantamos a bandeira!

Vitória para nós, a magia Udinese
vitória para nós, com um enorme coração preto e branco!

E como as coisas vão, vocês são nossos heróis
e ir para casa a dizer-nos muito
estávamos lá tudo bem, vencemos novamente
vamos em frente juntos, Udinese na história!
 
Vitória para nós, a magia Udinese
vitória para nós, com um enorme coração preto e branco!

Udinese é Udinese. Bonito hino. ;)



quinta-feira, 14 de julho de 2011

Enfim, férias!

Lá se vai mais um semestre da longa jornada estudantil. Semestre cheio de tarefas e responsabilidades, mas que com um pouco de tranquilidade, esforço e música (O calmante da alma. Rsrs) foi possível passar por todas as dificuldades.

Enfim, férias. São 15 dias para descansar e se preparar para mais um semestre. Na verdade, não seria mais um semestre, pelo contrário, será o último e definitivo e quem sabe até o mais importante, uma vez que encerra-se uma epata para que outra possa iniciar. Chego ao fim do Ensino Médio, confesso que me assusto quando lembro que já passei pelo fundamental I, II e estou terminando o Ensino Médio.

Uma jornada inevitável, que deixará saudade e boas lembranças. Mas agora é férias, aproveitar para sonhar, planejar e estudar. Afinal, um pouquinho de cada não faz mal a ninguém, né?! ;) Se bem que as minhas férias começaram muito bem com um belíssimo show da Nova Bossa. Lindas músicas, vozes encantadoras e um cenário muito aconchegante marcaram o início das férias. E ainda tive a felicidade de ouvir meu nome na rádio, numa entrevista da Farol Vermelho e da Nova Bossa, e vem por aí o show de Marcelo Camelo. Esses 15 dias valerão muito a pena.

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Peter Parker, ou melhor, Tobey Maguire!!!

Tobias Vicent Maguire (Tobey Maguire), nascido dia 27 de junho de 1975 em Santa Monica, é um ator norte-americano, que ficou famoso após interpretar Peter Parker no filme Homem-Aranha.

Maguire teve a primeira aparição em um filme, foi em 1989, The Wizard.  Entre sus vários trabalhos, o mais notável com certeza foi em 2002, como o super-herói aracnídeo em Spider-Man, baseado no popular personagem de quadrinhos da Marvel.

Ele atuou também nas sequências do Homem-Aranha 2 (2004) e Homem-Aranha 3 (2007) e consequentemente reprisou seu papel como Homem-Aranha nas adaptações de videogame dos filmes.

Devido às complicações com o script, e não cumprimento de datas de lançamento, uma proposta para o quarto filme foi colocada para descansar.

Entretanto, foi confirmada por executivos da Sony que a franquia será reiniciada para uma versão de 2012, e irá capturar a história do jovem Peter Parker enquanto ele ainda está no ensino médio. O Desempenho de Maguire como Homem-Aranha inicialmente lhe rendeu algumas críticas elogiosas. Mas, para o Homem-Aranha 4 em seu lugar estará Andrew Garfield e dessa vez será dado um destaque para a Gwen Stacy. Agora é só esperar.


Andrew Garfield
Tobey Maguire

      





Siga esse som...

Janta
Composição : Marcelo Camelo

Eu quis te conhecer, mas tenho que aceitar
Caberá ao nosso amor o eterno ou o não dá
Pode ser cruel a eternidade
Eu ando em frente por sentir vontade

Eu quis te convencer, mas chega de insistir
Caberá ao nosso amor o que há de vir
Pode ser a eternidade má
Caminho em frente pra sentir saudade

Paper, clips and crayons in my bed
Everybody thinks that I'm sad
I'll take a ride in melodies and bees and birds
Will hear my words
Will be both us and you and them together

'Cause I can forget about myself
Trying to be everybody else
I feel allright that we can go away
And please my day
I let you stay with me if you surrender

Eu quis te conhecer mas tenho que aceitar
(I can forget about myself
Trying to be everybody else)
Caberá ao nosso amor o eterno ou o não dá
(I feel all right that we can go away)
Pode ser a eternidade má
(And please my day)
Eu ando sempre pra sentir vontade.
(I'll let you stay with me if you surrender)

quinta-feira, 9 de junho de 2011

Trem-bala CAMPEÃO!

Foto divulgação: http://www.vasco.com.br/
Final de Copa do Brasil, valendo título inédito para quem vencesse e passagem direta para a Libertadores 2012, quem não quer?

No post anterior, falei que apenas uma torcida teria o privilégio de gritar "É CAMPEÃO". De fato e mesmo com o placar de 3 a 2, não deu para o Coxa. Eis que o grito preso há anos pôde perpetuar: Vasco da Gama CAMPEÃO da Copa do Brasil 2011.
Mesmo com derrota por 3 a 2 para o Coritiba nesta quarta-feira no Couto Pereira, Vasco comemorou o título inédito da Copa do Brasil; Alecsandro e Éder .... Foto: Heuler Andrey/Agif/Gazeta Press
Foto divulgação: http://esportes.terra.com.br/

A partida foi tensa e muito emocionante. Deixando nós, vascaínos, com o coração na mão. A cada contra-ataque do Coxa, a cada gol sofrido, choramos, suamos, mas não perdemos a esperança. Jamais. Um sentimento forte alimentado com muito amor e fé, não poderia ter um resultado tão satisfatório.


Vamos comemorar, porque o CAMPEÃO VOLTOU e dessa vez é pra ficar! Que assim seja e será. Agora, é força total no Brasileirão. Estou certa de que garantir outro título no mesmo ano não faz mal a ninguém, não é mesmo?!

Então, vamos todos cantar de coração, porque a Cruz de Malta e a Copa do Brasil são nossas! Ao Coritiba, nossos parabéns pela partida, pela garra e pela determinação. Ah, Libertadores 2012? Eu vou! \o/ #VascoNaLibertadores2012 /+/



terça-feira, 7 de junho de 2011

Vasco e Coritiba pelo Brasileirão e pela Copa do Brasil.

A terceira rodada do Brasileirão não teve um final muito agradável para nós vascaínos. Afinal, um placar de 5 a 1 a favor do Coxa deixa qualquer um cabisbaixo. Entretanto, o resultado não nos abalou, uma vez que o campeonato brasileiro está só começando e nos últimos jogos contamos com a atuação dos nossos reservas, que garantiram 6 pontos na tabela.

Enquanto que, para os reservas, partidas como as que estão acontecendo são de extrema importância, pois uma boa atuação pode garantir uma tão sonhada vaga no time titular, para o técnico e para a torcida é uma chance de conhecer a real situação dos jogadores e garantir que em caso de expulsões, suspensões ou lesões no time titular, comuns diante de campeonatos, teremos um grupo de ponta para as substituí-los.

Pensar em Brasileirão quando final de Copa do Brasil está batendo à porta é praticamente impossível. Então, eis que a agonia está por terminar. Amanhã, às 21h50 no Couto Pereira, o Trem Bala da Colina entrará em campo para decidir com o Coritiba a final da Copa do Brasil.

Colocar a mão na taça e carimbar a passagem para a Libertadores 2012 é vontade de ambos os times, porém apenas uma torcida terá a felicidade de gritar "É CAMPEÃO!". Resta-nos esperar, desejar e torcer para que o grito seja dado pela imensa torcida bem feliz.

domingo, 29 de maio de 2011

Vasco, com time reserva, vence o América-MG .

elton vasco gol américa-mg (Foto: Alexandre Loureiro / FOTOCOM.NET)
Foto divulgação: http://www.globoesporte.globo.com/

Depois da vitória contra o Avaí pela Copa do Brasil, eis que o Club de Regatas Vasco da Gama enfrentou hoje pelo campeonato Brasileiro o América-MG.

Com a cabeça na final da Copa do Brasil,  Ricardo Gomes resolveu utilizar o time reserva poupando, assim, os titulares que enfrentarão o Coritiba. Fernando Prass foi o único titular, e Bernardo o destaque.

E com o time reserva em campo, o resultado da partida não poderia ter sido melhor. Aos 8 minutos do primeiro tempo,  Leandro invadiu a área e foi derrubado por Thiago Carleto. O árbitro marcou pênalti à favor do Vasco. Quem bateu foi o camisa 31, Bernado, que cobrou com força no canto direito de Flávio. 1 a 0 em São Januário.

Entre jogadas de destaque, aos 39, Jéferson cortou para a esquerda e mandou no cantinho, de fora da área, mas a bola levemente bateu na trave direita de Flávio, indo para a lateral. Encerrando o primeiro tempo. Na volta do intervalo Bernado foi substituído por Enrico, que não esperou muito para marcar o seu, o passe saiu de uma linda caneta dada por Jéferson em Leandro Ferreira que deixou Enrico frente a frente com o gol.

Para encerrar a partida com chave de ouro, aos 45 do segundo tempo, Misael passou pelo marcador, chutou cruzado,  a bola foi de encontro ao Elton, que chegou de carrinho empurrando-a para o gol. Fim de papo em São Januário. Vasco, 3 e América-MG, 0.

O destaque da partida foi, com certeza, a Muralha da Colina, Fernando Prass e suas maravilhosas e milagrosas defesas. E a expulsão do Dudu, volante do América, que comenteu mais uma falta e recebeu um segundo amarelo.

Com vitória, o Vasco chega a seis pontos no Brasileirão e divide a liderança com o Atlético-MG. Agora, é concentração total para a primeira partida da final da Copa do Brasil, contra o Coritiba. Quarta-feira, às 21h50, em São Januário. 

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Errar...


Errar, é muito fácil realizar tal atitude. Difícil mesmo é identificar, assumir e consertar o erro. Talvez as pessoas não erram por querer, nem não peçam desculpa para não ter o ego ferido. Talvez não assumam o erro por simplesmente não percebê-lo. Quem sabe aquilo tenha se tornado tão natural que passa até despercebido.

Dizem por aí que persistir no erro é burrice. Bom, eu não acredito nisso, pelo menos não mais. A vida é bem mais do que erros e acertos. Errar chega a ser inerente o ser humano. Quem nunca errou?

Não nego que existem erros e erros, e que analisá-los e classificá-los de maneira semelhante seria injusto. Entretanto, deixar que um erro transforme, domine e vire a nossa vida de cabeça para baixo é dar importância a inutilidade.

Errar é aprender, errar para melhorar. Quem reconhece seus erros é sábio, pois aprendeu a aproveitar cada instante da vida sem se martirizar, aprendeu a real função do erro.

Errar nos dá a oportunidade de sermos humildes. Começo a acreditar que a função do erro seja até mais importante que a do acerto, porque ele chega a ser um medidor de solidariedade. Por vezes os acertos afastam as pessoas umas das outras, podendo até gerar sentimentos ruins. Já o erro, testa os sentimentos bons existentes dentro de cada um de nós.

Não é o erro em si, mas o que ele pode nos ensinar.