quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Minha Infância. Parte I. \o/

Talvez seja um dos meus temas preferidos, por isso, será constante citado por aqui. ;)
Recordo-me desse glorioso tempo, onde nada (nada mesmo) me preocupava. Lembro-me de fatos, acontecimentos e histórias que marcaram minha existência. Tá certo que algumas coisas se perderam no esquecimento ( a idade não permite mais, hehe!), mas não é por isso que a minha infância se tornou menos importante e interessante (não mesmo).
Quando era pequena, posso dizer que não era a das mais quietinhas e comportadinhas ( minha irmã que o diga), fazia tudo que uma criança gosta de fazer: correr, brincar, pular, reclamar, chorar e até pertubar um pouco. Muito diferente do que sou hoje, quieta, calada e super tímida que não se compara com a gurizinha que tocava o terror nas manhãs de domingo querendo ver desenho (sim, eu acordava por volta das 6 nos domingos), indignada com a impossibilidade de assistir desenho ia pra cozinha atormentar meu pai, que nessas horas já estava fazendo café da manhã, e se não me engano foi nessa mesma época que me viciei em café ( devia ter uns 5, 6 anos).
Pois bem, estudava de manhã numa escola não muito longe da minha casa, mamãe me levava junto com minha irmã mais velha (ou menos nova, como queiram) íamos e voltávamos juntas, certa vez, fugi da escola (o.O) foi mais ou menos assim: entrei na escola, fui pra sala e deixei minha mochila por lá, aproveitei uma bobeira da professora e saí de fininho para o pátio, chegando lá vi que o porteiro tinha deixado o portão aberto e fui para rua, olhei minha mãe indo lá longe na avenida (que por sinal era super movimentada) saí correndo e alcancei mamãe que tomou um susto e me levou de volta para escola (se fosse um plano não teria dado certo).
Essa foi só a primeira de muitas histórias vividas por mim narradas aqui, são histórias que me encantam, que me fazem retornar ao passado e que dão até um certo orgulho ( \o/).

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Felicidade.


Sentir-se feliz por aquilo que se faz é muito bom. Prova que é possível ser feliz com as nossas atitudes, embora a gente pense que muito das coisas que fazemos, não fazem o menor sentido. A felicidade constantemente bate à nossa porta, mas, infelizmente, por diversas vezes, somos incapazes de perceber e deixamos escapar momentos importantes. Talvez, não por culpa ( não acredito que se tenha alguma culpa por não ser feliz,) e sim, que nem sempre estamos preparados para sermos felizes. E, aquela história que cada coisa vem em seu tempo, pode ser verdadeira.

Hoje, por exemplo, não estou muito feliz. Foi então que lembrei que há algum tempo, iniciei um texto que seria uma "explicação" sobre a felicidade, mas que não dei continuidade ( refiro-me ao primeiro parágrafo). Sendo assim, resolvi falar agora, que não estou feliz, sobre o que felicidade significa para mim e aí vai:

Quando penso em felicidade, milhares de coisas aparecem na minha mente. Minha família, os momentos que vivi com minha avó, com meus tios e primos ( que infelizmente, não voltam mais), penso no pessoal da minha antiga escola, na galerinha da Padiais, no pessoal do twitter ( que ultimamente têm melhorado e muito minha vida) e em mais um monte de gente, penso em como queria que os desejos das pessoas que admiro se realizassem, lembro do banquinho do jardim do DEE ( onde, sempre que quero relaxar lendo um livro ou ouvindo música, me escondo) e por último, mas nem por isso menos importante, recordo da minha infância, sinceramente, não existe época melhor que essa.

Talvez, felicidade tenha gosto de chocolate e cheiro de terra molhada como naquelas tardes que passava em casa sonhando com um futuro tão impreciso, incerto que não me preocupava e que hoje me deixa assim, triste. Mas isso passa, porque a felicidade é muito maior que qualquer tristeza.

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

WHY CAN'T WE BE FRIENDS?


Why can't we be friends?
Why can't we be friends?
Why can't we be friends?
Why can't we be friends?

I seen you walkin down to China Town
I called you but you did not look around

Why can't we be friends?
Why can't we be friends?
Why can't we be friends?
Why can't we be friends?

I paid my money to the welfare line
I seen you standing in it every time

Why can't we be friends?
Why can't we be friends?
Why can't we be friends?
Why can't we be friends?

The color of your skin don't matter to me
As long we can live in Harmony

Why can't we be friends?
Why can't we be friends?
Why can't we be friends?
Why can't we be friends?

I'd kinda like to be the president
Then I could then show you how your moneys spent

Why can we be friends?
Why can we be friends?
Why can we be friends?
Why can we be friends?

Do filme Ponte Para Terabítia.